Prótese-Periodontia-Implantodontia: somos “três em um” há muito tempo

Prótese-Periodontia-Implantodontia
Prótese-Periodontia-Implantodontia: Paulo Rossetti mostra que o cirurgião-dentista deve conhecer o fluxo de tratamento das três especialidades.

O termo Reabilitação Oral (em inglês mouth rehabilitation) foi definido como cabeçalho (MESH) no site PubMed/MEDLINE, em 1965, como “o processo de restaurar dentes cariados ou danificados usando diversos materiais restauradores e não cosméticos, de tal forma que a saúde bucal fique melhorada”. Em português, nosso DECs (descritores em ciências da saúde) o traz como “reabilitação bucal”. Em janeiro de 1974, foi lançado o primeiro número do Journal of Oral Rehabilitation. E logo na abertura temos “uma reavaliação sobre próteses em cantiléver”.

Não posso me esquecer: no Brasil, diversos professores são responsáveis por publicações nesta área, desde o pioneirismo e visão do Prof. José Mondelli, com o livro “Dentística Restauradora: tratamentos clínicos integrados”, em 1984, e, dez anos depois, seguindo nesta mesma trilha, o prof. Elio Mezzomo, com seu famoso “Reabilitação oral para o clínico”.

No exterior, por exemplo, se pararmos por cinco minutos para fazer estatística, vamos perceber um movimento nem tão silencioso que fala da importância da reabilitação oral:

1) Unindo as palavras “implantes dentários” e “J Oral Rehabil”, teremos 316 referências associadas;

2) Com as palavras “implantes dentários” e “Int J Prosthodont”, teremos 684 resultados;

3) Em “implantes dentários” e “J Prosthet Dent”, serão 1.838 resultados;

4) Agora, se cruzarmos as palavras “implantes dentários” e “Int J Periodontics Restorative Dent”, teremos 1.015 resultados;

5) Ainda, se incluirmos as revistas de Periodontia (J Periodontol), por exemplo, serão incríveis 1.047 resultados!

É fato: as revistas sobre Prótese Dentária, Periodontia e Implantodontia trazem ao longo dos anos – cada uma com sua engenharia científica peculiar – a mescla destas três especialidades. Curiosamente, na lista dos 100 artigos mais citados em revistas de Prótese, as primeiras três posições correspondem aos implantes dentários!

E não importa se você está na faculdade ou perto da sua graduação. O dia a dia na clínica é uma grande Reabilitação Oral, logicamente com proporções variadas entre as três áreas. Se nossos pacientes procuram estética, há grande chance de situações periodontais não resolvidas; se nossos pacientes possuem próteses extensas antigas, ao removê-las, há grande chance de extração de pilares para colocação de implantes; se você é Prótese-Perio, sabe o quão importante é conhecer os princípios da Implantodontia; se você é Prótese-Implantodontia, sabe que em algum ponto do tratamento um provável paciente se apresentará com necessidade de aumento de mucosa queratinizada ou enxerto de tecido duro ou mole.

Não há como escapar. E, mesmo que você não seja especialista em três áreas simultaneamente, deve conhecer o fluxo de tratamento das outras duas. É a melhor forma para conversar com seus colegas.

Ainda, os próprios congressos IN possuem uma composição pautada em Prótese-Periodontia-Implantodontia. Basta dar uma passada no banco de dados de videoaulas e conferências.

Então, nós realmente somos “três em um” há muito tempo. Só falta oficializar esta união com um grande casamento. E, com ou sem Covid-19, agora é oficial.

Paulo Rossetti
Paulo Rossetti

Editor científico de Implantodontia da ImplantNews.
Orcid: 0000-0002-0868-6022.

Fechar Menu