Tratamentos periodontais ou exodontia e implante?

exodontia e implante
Marco Bianchini reflete sobre as dúvidas em problemas periodontais: afinal, devemos tratar ou realizar exodontia e implante?

Tratamentos periodontais ou exodontia e implante? Essa é uma pergunta que, mesmo após 28 anos de Implantodontia, ainda não consigo responder com 100% de certeza. Obviamente, o velho jargão de que “cada caso é um caso” ou que devemos avaliar os casos individualmente se aplica muito bem neste assunto. Porém, confesso a vocês que já tive sucessos e insucessos escolhendo qualquer um dos dois caminhos. Por isso, considero esta uma das decisões mais difíceis de se tomar na clínica diária de Periodontia e Implantodontia.

Para facilitar a discussão, que considero muito apropriada e que já vem sendo assunto de acalorados debates há décadas, trouxe um caso clínico muito interessante que retrata bem o tema. Um paciente do sexo masculino, com 72 anos de idade e sem comprometimento sistêmico, se apresentou em minha clínica particular para tratamento do elemento 16 com sangramento intenso na distal e desconforto na mastigação. As Figuras 1 a 4 demonstram este caso.

Após o exame clínico e radiográfico, optamos por um tratamento periodontal cirúrgico de raspagem a campo aberto e descontaminação química da área afetada. Nos primeiros seis meses, o resultado deste tratamento foi muito bom, com o desaparecimento dos sintomas. Entretanto, após um ano, o paciente teve vários abscessos periodontais na área, o que acabou condenado o dente à exodontia.

Este caso clínico reflete as muitas dúvidas que enfrentamos quando nos deparamos com dentes afetados por problemas periodontais. Muitos colegas implantodontistas, ao olharem a radiografia inicial deste caso, ainda com o dente 16 em boca, certamente já teriam indicado a exodontia para posterior colocação de um implante.

Por outro lado, colegas periodontistas – os chamados periodontistas de raiz – talvez teriam tomado a mesma decisão que tomei, ou ainda partido para uma rizectomia (leia mais sobre o tema na coluna de Marco Bianchini revista ImplantNews) da raiz distovestibular e mantido o dente ainda mais um tempo em boca, principalmente se levarmos em consideração a pouca disponibilidade óssea que existia.

Na verdade, não existe uma receita de bolo para salvar ou condenar um dente. Os conhecimentos em Periodontia, Prótese, Oclusão e Implantodontia, associados às características individuais de cada paciente, é que vão nortear estas decisões. Também não se pode julgar um profissional que adotou um caminho mais radical ou outro mais conservador, desde que estas decisões sejam sempre compartilhadas com o paciente. O que mais importa é oferecermos o que a Odontologia tem de melhor para cada situação específica.

Pois a Escritura diz: “Todo aquele que nele crê não será envergonhado.” Porque não há distinção entre judeu e grego, uma vez que o mesmo é o Senhor de todos, rico para com todos os que o invocam. Porque “todo aquele que invocar o nome do Senhor será salvo.”
(
Romanos 10:11-13)

Translate »